19 de jan de 2009

No verão, quem mora perto da praia tem mais amigos.


Eu não gosto muito de verão não.
Por muitas vezes acho o calor que faz aqui no Rio uma coisa perto do insuportável. É um calor que só aceita como adjetivo "senegalês". Calor senegalês, é isso.
Mas eu sei que sou uma exceção porque 99% dos cariocas vive só pra esperar o verão.
Eu senti isso na pele quando tive que esperar 20 minutos pra correr na esteira da academia porque não cabia mais ninguém. "Tá todo mundo querendo fritar na praia", me explicou o treinador.

Eu sei é que a felicidade é tanta que por vezes até contagia.
Ontem mesmo, com aquele calor todo, resolvemos dar uma volta ali pelo Aropoador e Ipanema. Já passava das oito da noite, mas muita gente ainda estava na areia, sungas e biquinis, muito papo, muita diversão.
E o mais engraçado é que os grupos são sempre grandes, porque carioca que é carioca aproveita a praia em bando.

Passei perto de um grupo de mais ou menos 10 pessoas, e ouvi alguém falando ao celular: "Encontra com a gente ali na casa da Bruna, na esquina da Prudente com a Vinícius. A galera tá indo toda pra lá."
Fiquei pensando na Bruna e em como o verão levava os amigos pra casa dela.
Provavelmente a Bruna mora sozinha, ou divide o apartamento com mais amigos. Mas nos dias de praia ninguém se importa com a casa cheia de areia, com o aperto do banheiro ou com as toalhas todas molhadas.
No verão, todos os amigos da Bruna querem é aproveitar o sol e o mar.
E com a Bruna, de preferência.