10 de jun de 2009

Velho bar

Não, eu não tenho a menor pretensão de ser meu nome essa borboleta a te visitar durante a noite assobiando.

Desejo só um modesto lugar na sua velha casa
não precisa ser nem cadeira cativa
Mas que seja suficientemente forte
Para cessar o seu choro.

Aí quem sabe nós
(eu e você)
possamos re-conhecer as agruras dos nossos corações
para em seguida bebê-las,
uma a uma
gole a gole
(ao seu tempo)
aqui no meu bar?