20 de fev de 2008

Outras palavras, novas fotos.

Crédito da foto: D DI Arte
Disponível em: http://olhares.aeiou.pt/plastic_wind/foto1702566.html



sensorial


obturação, é da amarela que eu ponho.
pimenta e cravo,
mastigo à boca nua e me regalo.
amor, tem que falar meu bem,
me dar caixa de música de presente,
conhecer vários tons pra uma palavra .
espírito, se for de deus, eu adoro,
se for de homem, eu testo
com meus seis instrumentos.
fico gostando ou perdôo.
procuro sol, porque sou bicho de corpo.
sombra terei depois, a mais fria.

Adélia Prado





3 comentários:

:: Daniel :: disse...

Amigo,

O clichê é batido (qual deles não é?), mas é reconfortante: todos nós merecemos um lugar ao sol.

Se essa morada é no coração de alguém, ótimo. Se não for, não se frustre. Quem não te quer não te merece.

E adorei os "vários tons da palavra". Adélia sabe bem o que diz.

Se cuida!

J.Machado disse...

O problema é este: "...os vários tons da palavra."
Mtas vezes compreendemos somente o que nos é conveniente.
Mas apesar de tudo, estes mistérios exercitam deliciosamente os nossos "seis instrumentos."
Td de bom pra ti.

Mr. Ziggy disse...

Eu gosto do performático, do sinestésico, do campo do sensível quando ligados de forma magestosa ao belo. Se assim o é, me esforço pra sair do universo do inteligível e permanecer, nem por alguns segundos, no campo da sensação e ali me deleitar. Acho uma prática difícil, que em um primeiro momento me causa um estranhamento, pois sempre quando me deparo com obras de arte acho que devo "apenas" pensar. Mas não... é preciso sentir, perceber via campo sensorial também. E eu, do meu jeito, percebi. Parabéns! Gostei da imagem articulada à poesia!