31 de mai de 2006

O bem o mal (ou o bom e o mau, talvez...)


Essa imagem sempre me inquieta e hoje ela tem um significado maior ainda.
Se todo bem (bom) tem um pouco de mal (mau) e seu todo mau (mal) tem um pouco de bom (bem), então pra quê tanto nervosismo?!?!!?
E mais, o próprio símbolo, que sugere uma rotação, sugere também mudança, constante mudança...
Vamos ser assim, minha gente!
Há sempre a possibilidade de ser o "outro", o oposto, o diferente. Nada no mundo está definido, nada está determinado...
Não há lados, não há posições a serem seguidas ou copiadas.
O vilão, aquele mesmo da novela, malvadinho total, que mata, rouba, e que nunca chora, pode ser você hoje, ou amanhã. Mas sem esses extremos, a vida boa é aquela que segue às vezes morna - não há porque assutar-se com tamanha volubilidade.
Somos bem/mal ou bom/mau sempre. Só depende do dia, do humor, do interesse.
E, relaxem, é normal e humano.
" And i'm not sorry,
it´s human nature.
Ops! I didn't I know I could speak my mind..."
Human Nature, Madonna.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cara, concordo com vc. Acho que a vida muda muito e o legal de tudo é poder estar sempre em transformação. Acredito na transformação de sonhos, interesses, manias... mas essa coisa de mal e bem já é mais complicado para mim.
Continue escrevendo...gosto de ler suas coisas, assim como gosto de ouvir vc. Eu sempre aprendo...
beijos,
Leticia Calhau.