28 de mar de 2007

Uma emergente em apuros!

Fazia um lindo dia quando Chapeuzinho Vermelho Torres de Barros despertou. Pássaros cantavam em sua janela enquanto seus olhos abriam e ao bocejar pôde sentir o cheiro de café fresco. Levantou, olhou-se no espelho e pensou que já era hora de retocar a tinta ruiva de seus cabelos; em seguida pintou seus olhos de azul – ela nunca saía do quarto sem antes estar devidamente maquiada. Ligou o rádio e vibrou mexendo os quadris ao som de Rick Martin cantando Maria.

- Hoje vai ser um dia e tanto! Disse pra si mesma e sorriu.

Mas quando se sentou à mesa com sua mãe, Maria Augusta Torres de Barros, viu que nem tudo eram flores: ela teria que ir à casa de sua avó para lhe entregar uma cesta de trufas irlandesas trazidas de sua última viagem àquele país. Relutou a principio, mas logo cedeu quando lembrou que vovó Marieta Janaína de Barros morava no mesmo condomínio que Jorge Frederico Augusto, seu mais novo alvo. E resolveu caprichar no rímel aquele dia...

Depois dos cabelos presos num coque banana foi direto à garagem pegar sua Mercedes conversível vermelha. Ao passar pelo espelho do hall de saída percebeu como estava elegante com sua nova echarpe Dolce e Gabana. Vermelha, era óbvio, sua cor favorita.

Antes de arrancar deu, aos seguranças, as coordenadas de onde ia, como de praxe:

- Estou indo à casa de vovó levar-lhe umas trufas, voltarei em algumas horas – anunciou.

Ela nem percebeu, mas um homem num carro parado à sua frente a observava e pôde ouvi-la dizendo aonde ia. Sem saber do perigo que corria ligou o rádio e cantou os pneus.

A casa de vovó ficava num bairro distante, e o caminho era rodeado de árvores de eucalipto, o que fazia com que Chapeuzinho Vermelho Torres de Barros se sentisse uma verdadeira atriz americana com todo aquele “ventinho cheiroso” nos cabelos, era como ela mesma dizia.

Um Opala preto, ano 65 (em péssimo estado de conservação, diga-se de passagem) a seguia com certa distância. E no volante o mesmo cara que a observava minutos atrás. O que ela não sabia é que há dias esse homem a seguia, esperando o momento exato de abordá-la. Ele era um bandido perigoso, alcunha Lobo Mau, e tendo saído da prisão há pouco, estava prestes a realizar mais um seqüestro relâmpago. O alvo? Ninguém melhor que Chapeuzinho, filha de uma das emergentes mais conhecidas da Barra da Tijuca.

Então Lobo Mau pensou mais rápido e resolveu cortar caminho por dentro de uma favela (ele conhecia bem aquele local!) para que pudesse chegar antes à casa de vovó Marieta. Sabia que ela já era uma senhora em idade avançada que não tinha seguranças e não seria difícil dominá-la para poder realizar toda a operação de dentro da casa, o que lhe pareceu mais seguro.

Naquele mesmo momento Chapeuzinho teve uma brilhante idéia: ligar pra uma amiga que morava no prédio e marcar um encontro casual com Jorge Frederico Augusto.

- Andressa amiga, preciso de um favor seu! Tipo assim, tô indo pra casa da vovó e pensei numa parada assim, tipo encontro casual com o Jorginho, será que ele vai sacar???

- Lógico que não amiga! Tipo assim, me dá alguns minutos que eu ajeito a parada pra você...

- Ai, brigada amiga.... Você é tudo!!!

E assim estava feito. Nada melhor que ter amigos, pensou. E aumentou o rádio.

Lobo Mau passou desapercebido pela portaria disfarçado de entregador de tapete persa. Subiu ao 308 e tocou a campainha. Quando vovó Marieta abriu a porta não pôde nem ver a cara do sujeito. Com toda prática que tinha, ele enrolou a velha no tapete enquanto ela gritava desesperada:

- Tire-me já de dentro dessa imitação vagabunda de tapete persa, eu não quero comprar essa porcaria seu vendedor de meia tigela!

- Quietinha aí velha dos infernos, fica na tua que a parada aqui é séria. Eu não tô vendendo nada, meu negócio é com sua netinha Chapeuzinho – dizia ele entre dentes, com medo de alguém ouvir.

Mas não convenceu Dona Marieta, que continuava a gritar que não compraria o tapete. Devia ser a cabeça que já não funcionava bem do alto de seus 95 anos...O meliante então amordaçou a senhora para que ela parasse de gritar. Escondeu-a dentro do closet da suíte principal do apartamento e reparou que somente a sala devia ser maior que seu barraco todo. Então vestiu o hobby de seda da velha, colocou um turbante (toda senhora mãe de emergente tem um, que usa pra esconder as falhas capilares causadas pelo excesso de laquê), encheu a cara de pó-de-arroz e deitou-se na cama para esperar o momento exato de executar seu plano.

Eis que a rubra menina chega ao prédio. Quando entra no apartamento da avó sente um estranho cheiro de perfume barato e ensaia como dizer a Dona Marieta que ela deve trocar de fragrância. Mas logo esquece quando chega ao quarto e dá de cara com uma figura quase horripilante deitada na cama.

- Vovó?!?

- Sim minha netinha querida!!!

- O que houve com a senhora? Parece uma múmia com tanto pó-de-arroz? Já não ensinei a senhora que existem umas bases ótimas da L’ancome que são super discretas?

- Hein!?! – Fala Lobo Mau com a voz grossa

- Ai, coof, coof, coof, que tosse, coof, coof – disfarça.

- E já não lhe disse que existem uns cristais de gengibre que são ótimos pra essa rouquidão??? - diz Chapeuzinho.

- Não se preocupe querida, estou bem.

- Vim trazer pra senhora essas trufas que trouxe da Irlanda, são divinas!

- Deixe-as aí, em qualquer canto

Ao aproximar-se mais da cama a menina percebe como a suposta vovó tem os olhos saltando das órbitas.

- Vovó, a senhora deve fazer um exame de tireóide, está com os olhos esbugalhados e enormes!!!

- São só pra te ver melhor minha filha!

- E essa boca enorme vovó, a senhora pôs silicone de novo?!?

- Não minha filha, é só o batom que deve estar borrado – diz Lobo Mau tentando parecer natural mas já incomodado com tantas perguntas...

- Vovó, que mãos enormes!!! Deve estar com problemas de circulação, estão muito inchadas!!!

- Não estão não menina, elas são grandes assim para segurarem todos os seus cartões de banco de uma só vez – diz Lobo Mau tirando o hobby e levantando da cama num sobressalto. De dentro do turbante ele saca um 38 que, habilidosamente, fica apontado direto para a cabeça de Chapeuzinho.

- Calma aí moço, eu te dou tudo, mas não me faça mal... Onde está minha vó? O que fez com ela???

- Sua vó fica de refém até que eu pegue todo dinheiro que você tem no banco.

- Toma moço – e abre a carteira tentando esconder seu American Express novinho totalmente sem limite.

- As senhas eu passo pro senhor.

- Não mesmo, você vai comigo – e agarra menina.

- Antes porém vamos passar um demaquilante pra tirar esse excesso de pó porque não combina nada nada com seu tom de pele – diz ela, quase amigável.

- Você ta louca?!? – diz ele – mas concorda quando vê sua figura patética no espelho...

Ao passar pela sala porém o coração de Chapeuzinho dispara. Lá está Jorginho, com uma espingarda enorme na mão, de calças curtas, parecendo um autêntico caçador.

- Largue a moça seu bandido de quinta!

- Ela está com um 38 na cabeça , irmão, vai encarar?

- Vou sim, só não encararia se não soubesse que essa arma é de brinquedo seu patife!

Chapeuzinho nesse momento sente uma mistura de medo com excitação, tudo isso é praticamente igual aos seus sonhos mais secretos: o mocinho salvando a donzela indefesa das mãos do elemento periculoso...

- Largue agora antes que eu atire em você – diz Jorginho se precipitando.

- Calma aí irmão, calma aí - e vai baixando a arma.

Então Chapeuzinho corre para os braços do herói e antes de tudo pergunta o porquê dele estar vestido assim e com uma arma daquelas.

- Estou chegando da aula de caça, e também faço aulas de tiro ao alvo, por isso conheço bem um 38 e percebi na hora que se tratava de um brinquedo de criança...

- Não me mate, por favor – dizia Lobo Mau

- Onde está Dona Marieta, diga agora!

- Está no guarda-roupa, dentro do tapete!!!

Chapeuzinho corre no quarto e desenrola sua vó e a salva. A velha senhora, agora mais calma confessa a neta:

- Sabe que olhando bem até que esse tapete até parece verdadeiro? Quanto custa hein moço?!? - Insiste ela.

- Fica quieta vovó, fica quieta... – diz a menina.

E Chapeuzinho se entrega aos braços do amado e eles são felizes para sempre.*

FIM

* Na verdade o para sempre é só até a nova lista dos “solteiros mais cobiçados do país” sair na coluna diária de Hildegard Angel, por que, afinal, de que adianta ter um amor e não sair ao menos uma vez por mês nas colunas sociais?!?

João Da Silva, o Lobo Mau, foi preso e condenado a 6 anos de prisão, mas fugiu há duas semanas, na última rebelião de presos do presídio Ari Franco. Chapeuzinho agora passa a maior parte do tempo em Miami, onde pode usar suas jóias sem medo.


Nenhum comentário: