5 de nov de 2008

Distante das cercas de amor


(Inspirado na música "Tudo vai ficar bem", banda Cof Damu)



Lá no alto daquele monte, querido
Tem uma casa que poderia ter sido nossa
(ainda bem que você não me escolheu)
Porque a casa não quis sequer abrir as portas
Para o nosso caso entrar.

Antes que a fizéssemos ruir
(aquela casa que poderia ter sido nossa)
Tivemos certeza que era ele
(aquele sentimento que a gente nem soube o nome)
Quem deveria partir sem voltar mais.

“Ainda que nas tardes ela possa escutar
(em suas paredes o que ele a fez sofrer)
Não teve medo de deixar assim
O vento entrar
Pela janela de estar”

Tudo vai ficar bem.
Não existe fim.

2 comentários:

Beatriz disse...

Também tenho nas minhas lembranças uma casinha ao pé da serra, onde tantos sonhos foram tecidos...

Fica um raio de sol a brincar neste restinho de tarde e um beijo no coração.

J.Machado disse...

Td bem Toni?
É essa sua sutileza com as palavras que encantam.
Quantas casa são assim!
Fica a dúvida essa casa deveria ter existido? Nela vcs deveriam ter entrado?
A dúvida também encanta.
Grande abraço amigo.